Month: março 2016

  31/03
 

Conhecer uma cultura cuja história é riquíssima, fazer novas amizades e ainda por cima receber todo carinho e gratidão de crianças cheias de amor para dar. Foi o que fez a gaúcha Laura Franzoi, que escolheu a Cidade do México para fazer intercâmbio voluntário. Já aviso que a entrevista está linda, não perde!

CIDADE DO MÉXICO - VLIFESTYLE - 3 - Teotihuacan

País e cidade que morou: Cidade do México – México

Qual foi a documentação exigida? Passaporte e Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia.

Quanto tempo ficou? 1 mês e 15 dias.

Que idade tinha? 21 anos.

Qual época do ano foi? Verão, de junho a agosto.

Viajou em grupo ou sozinha? Sozinha, porém vivi e trabalhei com outras 6 meninas (outra brasileira, uma peruana, uma colombiana, uma turca, uma chinesa e uma taiwanesa.

Como organizou a viagem? Planejava um intercâmbio nas férias de julho, para não interromper as aulas da faculdade. Uma amiga que trabalhava na AIESEC me apresentou a ONG e eu resolvi que queria fazer meu intercâmbio com eles. Como eu já tinha escolhido o país, faltava apenas escolher o projeto. Fui entrevistada pelo manager do projeto que escolhi e, a partir daí comecei a pesquisar sobre custo de vida lá, a procurar passagem de avião, fiz uma lista sobre o que deveria levar e outra lista sobre comida brasileira que eu queria levar para que experimentassem.

Que tipo de hospedagem utilizou? Vivi no orfanato onde trabalhei. A diretora do orfanato nos disponibilizou um pequeno chalé do próprio orfanato. Dividíamos dois quartos e um banheiro entre 7 voluntárias, e a limpeza era por nossa conta.

Como era a alimentação? Nos dias de semana as refeições eram feitas no orfanato com as meninas, as cozinheiras faziam a comida e era sempre bem picante e reforçada. Já nos finais de semana livres fazíamos as refeições na rua, o que nos possibilitava comer as mais variadas coisas, desde Mc Donald’s a tacos de vendedor ambulante. A comida no país é salgada e muito bem apimentada, eles têm vários tipos de chiles, e cada um tem o seu grau de “picância”. O mexicano gosta também de por limão na comida. Eles têm diversos tipos de bebidas, por exemplo, água de sabor (é a polpa da fruta, porém se adiciona água e açúcar), suco (polpa da fruta), limonada e laranjada (podem ser com água natural ou mineral, espremendo a fruta e adicionando açúcar), licuado (é a nossa batida).

CIDADE DO MÉXICO - VLIFESTYLE - 10 - Sopes

Por que escolheu esse destino? Desde pequena sonhava em conhecer o México.

Onde trabalhou? Em uma das casas do orfanato Ministerios de Amor, a casa de meninas de 8 a 16 anos, filhas de pais usuários de drogas, presidiários ou moradores de rua. Ministerios de Amor é uma associação altruísta que tem casas espalhadas pelo México (Monterrey, Guadalajara, Cuernavaca e Cidade do México).

Como foi o trabalho voluntário? A nossa função era realizar atividades recreativas, didáticas, culturais e dinâmicas com as meninas, já que estavam entrando em férias escolares. Atividades como esportes, jogos, danças, inglês, aprender sobre as bandeiras dos países de cada voluntária e aprender a localização desses países no Mapa Mundi, dias temáticos sobre o país de cada voluntária, entre outras.

Quando todas as crianças e adolescentes de todas as casas de Ministerios de Amor já estavam de férias, foi realizado um acampamento de verão em Cuernavaca. Nós, voluntários e voluntárias, fomos reunidos para organizar as atividades a serem realizadas e separar as crianças e adolescentes em grupos com cada voluntário (a) sendo seu líder.

O que mais marcou durante esse trabalho? As crianças eram muito receptivas e carinhosas, queriam estar perto da gente sempre, fazendo o que estivéssemos fazendo ou conversar e mostrar suas coisas e seus conhecimentos.

CIDADE DO MÉXICO - VLIFESTYLE - 10 - Orfanato 2

Como foi o relacionamento com as pessoas locais? Maravilhoso. O mexicano, assim como o brasileiro, é muito receptivo, educado e caloroso. Abraça, beija, conversa, sorri, sempre pede licença, agradece, diz “por favor”, diz “saúde” quando alguém espirra mesmo que não seja conhecido. É um povo muito simpático e pronto para ajudar no que for preciso.

O que mais gostou? Gostei muito de trabalhar num ambiente de carência, pobreza e inocência, uma realidade bem diferente da que vivo, penso que todas voltamos para casa um pouco mais humildes e sensibilizadas. Foi maravilhoso também trabalhar com as outras intercambistas, cada uma de uma nacionalidade, nos tornamos grandes amigas. O transporte público é bem acessível e diversificado (táxi, Uber, lotação, ônibus, metrobus, metro), além de ser muito barato. Sobre a culinária, os meus favoritos são os “sopes”.

O que menos gostou? A cidade é muito grande, uma das maiores do mundo, isso dificulta a locomoção, por mais que haja diversas possibilidades de transporte público, além disso o trânsito é um caos, normalmente é sempre engarrafado.

CIDADE DO MÉXICO - VLIFESTYLE - 36 - La Ciudadela

O que surpreendeu? O México tem muitos monumentos históricos, muitos museus, e todos os cidadãos são orgulhosos de cada um desses monumentos e museus. O que surpreende é que eles sabem explicar o que significa cada monumento, cada momento histórico, cada símbolo. É maravilhoso sair pelas ruas com um mexicano, pois qualquer um deles pode ser o teu guia turístico. Em qualquer restaurante, valet parking, estacionamento que se vá, ao ir embora, deixa-se uma propina para o garçom ou para quem lhe atendeu, é como os 10% que nos são cobrados no Brasil, mas diferentemente disso, cada um deixa o valor que julgar correto. Algo muito particular que me surpreendeu, foi eu ter voltado para o Brasil comprometida com um mexicano.

O que decepcionou? O que me decepcionou foi a “quebra” de combinações no trabalho, pois não tínhamos todos os finais de semana nem as tardes livres, como foi combinado. Não tivemos nenhum tipo de instrução da parte da diretora e das tias do orfanato sobre animais perigosos e venenosos que pudessem existir na zona. A janela dos fundos do nosso chalé dava para um terreno baldio com mato alto, como o nosso chalé era muito empoeirado e não podíamos deixar aberto para arejar por conta das meninas do orfanato, deixamos a tal janela aberta e, de madrugada, acordamos com um escorpião caminhando em uma de nós.

Lugares que um turista tem que visitar? Como disse anteriormente, o México é repleto de monumentos, parques, museus, pueblos mágicos, etc. quem viaje ao México não pode perder nenhum deles.

Na Cidade do México: Trajineras em Xochimilco, monumento a La Revolución, bosque de Chapultepec, castillo de Chapultepec, Museo de Antropología, Zócalo da Cidade do México, Museo del Tequila y el Mezcal, monumento Ángel de La Independencia, Palacio de Bellas Artes, Ciudad Universitaria, Museo Frida Kahlo, Museo Tlatelolco, Memorial 68, Plaza de las Tres Culturas, Cineteca, Mercado de Artesanías La Ciudadela, Mercado de Artesanías de Coyoacán.

Nevado de Toluca, Pueblo mágico Tepoztlán, pueblo mágico Taxco, zona arqueológica de Teotihuacán.

Quanto gastou? Ao todo, suponho que 5 mil reais.

Voltaria? Já voltei e voltarei sempre.

Este slideshow necessita de JavaScript.







  23/03
 

Eu sei que não é fácil arrumar espaço no dia a dia ou ânimo para ir até uma academia fazer exercícios físicos. Mas isso não deve impedir você de se exercitar e manter seu corpo e movimento. Há algumas atividades que são extremamente importantes para nosso organismo e que podem ser feitas em qualquer lugar. Você conhece os benefícios do alongamento muscular? Eles são vários! Listei sete deles para vocês e o melhor é que eles podem ser feitos em qualquer lugar e por pessoas de todas as idades.

BENEFÍCIOS DO ALONGAMENTO MUSCULAR - VLIFESTYLE

  • ALIVIA TENSÃO MUSCULAR
  • AUMENTA FLEXIBILIDADE
  • ATIVA CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA
  • DIMINUI RISCO DE LESÕES
  • MELHORA POSTURA
  • ALIVIA O STRESS
  • AUMENTA CONSCIÊNCIA CORPORAL

Logo abaixo tem alguns exemplos de alongamentos para iniciantes. Fique na posição indicada de 20 a 30 segundos, mas sem sentir dor. Você deve sentir apenas uma tensão na região, e não como se realmente estivesse machucando a área.

BENEFÍCIOS DO ALONGAMENTO MUSCULAR - EXEMPLOS - VLIFESTYLE







  22/03
 

Foi no outono/inverno de 2012/13 que surgiu nas passarelas este truque de styling. Na temporada seguinte teve mais. E foi assim que a camisa por baixo do vestido conquistou primeiro as fashionistas e agora está ganhando o coração daquelas que não são vítimas da moda, mas adoram tendências tão versáteis quanto essa. Veja porque e como usar essa nova maneira de desfilar seus vestidos por aí.

CAMISA POR BAIXO DO VESTIDO - VLIFESTYLE

O primeiro grande motivo é fazer valer a compra de seus vestidos de verão e também aproveitá-los nos dias mais frios. E olha que se manter quentinha e na moda não é um combo muito fácil de conseguir no inverno. Além disso, é uma maneira de usufruir ainda mais aquele vestido que possui decote generoso. A camisa, além de cobrir a pele, quebra a sensualidade da outra peça e deixa o look mais elegante.

Ideal para trabalhar, essa tendência é mais cool do que sexy. Ou seja, use em compromissos mais formais, como jantares e reuniões. Pode ser usada tranquilamente durante o dia e a noite. Quanto aos calçados, sem mistério. Pode ser usado com scarpin, botas e sapatilhas.

Para fechar o look, indicaria uma belo maxi colar para as mais descoladas. Já as mais discretas, podem combinar vestido e camisa de tons parecidos, para não causar muito contraste.







  18/03
 

Uma tendência crescente para casa é usar azul marinho na decoração. Não pense que a cor fica restrita aos looks estilo marinheiro! Ela tem invadido os lares trazendo, apesar de ser forte, sofisticação, sobriedade e relaxamento. Veja como entrar nessa onda e deixar a decoração do seu lar mais contemporânea.

AZUL MARINHO NA DECORAÇÃO - VLIFESTYLE

Os exemplos acima são nas paredes, tanto pintura como papel e azulejo. Você pode seguir essas inspirações, também usando móveis do mesmo tom, deixando a decoração mais monocromática. Ou ainda pode escolher peças em outros tons de azul, caso ache esse muito escuro. Vale lembrar aqui que cores escuras diminuem o espaço do ambiente, portanto se a área por pequena, é interessante usar tons neutras também para equilibrar.

Azul marinho na decoração

Se você gosta de azul marinho na decoração, mas não quer exagerar, não se preocupe. As três inspirações acima comprovam que usar elementos dessa cor na casa deixa o ambiente muito sofisticado e moderno, sem deixar de lado a tranquilidade e o aconchego. Temos exemplos com sofá e poltrona, mas você também pode usar vasos, tapetes e outras peças decorativas para acrescentar esse tom na sua decoração.

Caso queira fazer um mix de cores, fique sabendo que o azul marinho é muito versátil. Além de ficar lindo com cores neutras e elementos metálicos, cores vibrantes como amarelo, laranja e rosa são bem indicadas. Numa busca rápida pela internet você pode encontrar mais ainda imagens para trabalhar sua imaginação.







  16/03
 

Eu não sei vocês, mas eu não consigo ficar com as unhas por fazer. Pode ser frescura, mas o fato é que eu não me reconheço se não estiver com alguma cor na ponta dos dedos. O problema é que manicure toda semana sai caro e muitas de vocês também têm dificuldade em fazer isso em casa. Vou confessar que até pouco tempo eu não conseguia sequer lixar a unha. Quando ela quebrava, eu esperava até o fim da semana, com ela enroscando em tudo, para manicure fazer isso. Depois de muitas tentativas, aprendi! Então eu trago algumas dicas para vocês também conseguirem fazer as unhas em casa.

Uma observação importante! Eu considero – e sei que muitas mulheres também pensam assim – fazer as próprias unhas uma terapia. É um momento que fica só eu, minha coleção de esmalte e as benditas unhas. Faço isso ouvindo música ou ainda espiando algum seriado. Relax total!

COMO FAZER AS UNHAS EM CASA - VLIFESTYLE

01. O COMECINHO: Antes de por a mão na massa, você deve ter bem claro em mente que se você não é manicure, seu processo não tem que ser o mesmo de uma. Acredito que eu demorei mais pra aprender a fazer porque tentava copiar o trabalho da profissional. Nada disso! Existem alguns truques que levam mais tempo, mas pode ajudar.

02. MATERIAL EM MÃOS: Pode parecer desnecessário, mas algumas armas são importantes para a batalha. Vou fazer uma lista das coisas que eu uso, mas você também pode ir fazendo seus testes e descobrindo o que precisa ou não.

  • oléo secante
  • base
  • esmalte escolhido
  • extra-brilho
  • creme amolecedor de cutículas
  • alicate de cutículas
  • algodão
  • palitos de unhas
  • lixa
  • bloco polidor
  • guardanapo de papel
  • toalha
  • água morna
  • removedor de esmaltes ou acetona

03. LIMPEZA: Um problema que eu tinha era que minha unha descamava muito. Eu descobri que, entre outros fatores, ela ficava muito ressecada e a principal causa era a acetona. A dica é retirar o esmalte velho passando um pouco de óleo secante antes, e depois vir com o algodão com acetona. Se preferir, é ainda melhor para a unha retirar com removedor de esmaltes sem acetona na fórmula. Depois, sempre lavo bem a mão, já dando uma empurradinha nas cutículas.

04. LIXANDO: Muita calma nessa hora. É importante ter uma lixa em boas condições e usar o lado mais delicado dela, caso não queira perder comprimento. Vá lixando aos poucos no formato de sua preferência e testando num tecido se ela está pegando ou não. Para deixar a unha uniforme, passe o bloco polidor, com cuidado. Se você exagerar, pode deixar a unha fraca demais.

05. CUTÍCULAS: Com as unhas lixadas, não economize no creme amolecedor. Passe o produto em toda cutícula, cobrindo bem a pele. Depois cubra com algodão e umedeça com a água morna. Mas vamos fazer isso uma mão por vez! Colocou algodão no último dedo daquela mão, espera uns 8 minutos, e vá tirando um dedo por vez, deixando o hidratante agindo nas demais. Empurre bem a cutícula, para ela ficar evidente no cantinho e muito cuidado com o alicate! Pegue ele bem firme e vá sem pressa alguma. Tire aos poucos e não queira cavar muita nas primeiras vezes. É melhor ir devagar para pegar confiança, sem se machucar. (óbvio que de vez quando vai rolar aquele bifezinho básico, mas não se intimide)

como fazer as unhas em casa - cutícula - VLIFESTYLE

06. MELHOR PARTE! Não sei para você, mas esmaltar é minha parte favorita. Com as unhas lixadas e limpas, passe uma camada da base se sua preferência e espere secar alguns minutinhos. Depois disso, duas camadas do esmalte escolhido. Entre as camadas, espere novamente alguns minutinhos. Eu sei que as profissionais limpam o excesso com o palitinho só depois da última camada. Minha dica é tirar na primeira também! Vai facilitar – e muito – na hora da limpeza. Passe o palito e limpe no guardanapo de papel que você separou no começo.

07. EXTRA-BRILHO E ÓLEO: Esses dois produtos são muito importantes! Passe o top coat (ou extra-brilho) e também retire a sobra dele com o palitinho. Depois disso, óleo secante sem economizar. Há quem prefira o spray, mas eu amo óleo. Tanto faz!

08. RETIRANDO OS EXCESSOS: Você deve ter reparado que falei para passar o óleo antes da limpeza, mas as manicures fazem ao contrário. Como eu disse, devemos procurar a maneira que funciona melhor para nós. A função do óleo é secar o esmalte, portanto ele sai melhor da pele nos borrões. Enrole um pouco de algodão na ponta do palito, molhe na acetona e limpe sem pressa. Você provavelmente vai usar mais algodão que a profissional também, mas lembre-se de não querer imitar e não ter pressa para nada.