arte

  06/04
 

São Paulo é não São Paulo por acaso. A maior cidade da América Latina possui inúmeras opções para todo tipo de lazer. É um destino e tanto para apaixonados por museus, assim como eu. São vários os lugares com exposições artísticas de encher os olhos, mas resolvi contar três que são meus favoritos. Veja três museus que você precisa conhecer em São Paulo.

Três museus que você precisa conhecer em São Paulo

01. MASP: The one and only. O Museu de Arte de São Paulo, localizado no coração da Avenida Paulista é meu favorito. Foi o primeiro museu paulistano que visitei, há anos atrás, e não tinha como não me apaixonar. Quase que diariamente passo em frente à ele e o amor só aumenta. Projetado por ninguém menos que Lina Bo Bardi, o prédio foi inaugurado em 1968. Antes disso funcionava na rua 7 de Abril, centro da capital paulista. Atualmente as obras estão expostas nos cavaletes de cristal também projetados por Lina. Visitei a exposição ainda nos primeiros dias e preciso dizer que é algo emocionante! Mais informações aqui.

MASP - Cavaletes Lina Bo Bardi

02. Instituto Tomie Ohtake: O Instituto Tomie Ohtake, localizado na Avenida Brigadeiro Faria Lima, vale a visita só pelo prédio. Eu não sei se posso realmente chamá-lo de museu, mas o lugar abriga exposições belíssimas e é sem dúvidas um ponto turístico imperdível em São Paulo. Inaugurado em 2001, o prédio foi projetado pelo arquiteto Ruy Ohtake. São sete salas expositivas divididas em dois andares, sem acervo permanente. Ou seja, sempre há um novo e bom motivo para visitar o complexo cultural. Mais informações aqui.

03. MAC: Com cerca de 10 mil obras em seu acervo, o Museu de Arte Contemporânea possui nada menos do que três endereços – um no Parque Ibiraquera e outros dois na cidade universitária da USP. Quase todas as obras do acervo vieram do Museu de Arte Moderna, que teve a sua coleção entregue à USP pelo então presidente Francisco Matarazzo Sobrinho, em 1963. Mais informações aqui.







  24/10
 

Exposição Castelo Rá-Tim-BumBoa notícia para quem achou que tinha perdido a Exposição do Castelo Rá-Tim-Bum, que acontece no Museu da Imagem e do Som (MIS) em São Paulo: ela segue até 25 de janeiro de 2015!

De acordo com o museu, mais de 190 mil pessoas já visitaram a exibição que homenageia o programa veiculado na TV Cultura de 1994 a 1997. Com tamanho sucesso, ela foi inicialmente estendida até 16 de novembro, e agora passou para janeiro.

A mostra ocupa dois andares do MIS. Em um deles, estão expostos figurinos das personagens, fotografias, objetos de cena, trechos do programa e também depoimentos gravados pelos atores – especialmente para a exposição. Na outra, a realização do sonho de muitas crianças dos anos 90: entrar no Castelo (mais de 10 ambientes foram recriados para isso).

Clique aqui e confira o folder da megaexposição.

SERVIÇO

Local: Museu da Imagem e Som (Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo/SP)
São Paulo

Horário: Terça a sexta, das 11h às 21h, sábados, das 9h às 23h e domingos, das 9h às 20h.

Ingresso: R$ 10,00 (entrada gratuita nas terças)







  26/09
 

Lembro perfeitamente quando conheci a Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre, há alguns anos. Foi durante uma visita escolar, guiada pela professora de Educação Artística. Na ocasião, três exposições estavam abertas para visitação, mas tínhamos a tarefa de descrever quatro. Terminando o tempo para realização do trabalho, e sem encontrar a quarta obra, olho para o local e encontro a resposta: era o prédio.

fundação ibere camargoCom uma arquitetura que causa curiosidade em quem passa pela Avenida Padre Cacique, na capital gaúcha, o edifício valoriza a bela vista para o lago Guaíba, principalmente num final de tarde. A sede foi projetada pelo renomado arquiteto português Álvaro Siza e inaugurada em 2008. Mas a fundação existe desde 1995, um ano após a morte de Iberê Camargo.

Neste final de semana, há duas exposições na instituição: Iberê Camargo: As horas [o tempo como motivo] (acervo) e Limites Sem Limites: Desenhos e Traços da arte povera (temporária).

Além disso, a Fundação Iberê Camargo participa da 8ª Primavera dos Museus, um evento anual que ocorre em todo o país e é organizado pela IBRAM (Instituto Brasileiro de Museus). Conforme o site da instituição (aqui), de 22 a 26 de setembro a artista Ana Maria Tavares está no Ateliê de Gravura (mais informações aqui), trabalhando na prensa que pertenceu a Iberê. O resultado de seus trabalhos serão apresentados dia 27, às 11h.

Ainda no dia 27, acontece das 16h às 18h uma oficina de gravura para adultos, trabalhando técnicas como gravura em relevo e xilogravura.

No domingo, dia 28, a equipe do Programa Educativo da instituição ministrará uma oficina para crianças de 7 a 12 anos, explorando exercícios com argila, desenhos e colagens, por exemplo.

A entrada é gratuita em todas as atividades e as inscrições para oficinas devem ser feitas pelo telefone (51) 3247-8001 ou pelo e-mail agendamento@iberecamargo.org.br.

SOBRE O ARTISTAibere-camargo

Iberê Bassani de Camargo nasceu em Restinga Seca, Rio Grande do Sul, em 18 de novembro de 1914. Iniciou seus trabalhos com pintura em 1936, em Porto Alegre. Em 1942 mudou para o Rio de Janeiro, juntamente com sua esposa, Maria Coussirat Camargo. Ainda em 42, o artista fez sua primeira exposição. Iberê ficou conhecido por sua produção com desenho, pintura e gravura. Entre as séries mais conhecidas estão “Carretéis” e “Ciclistas”. Faleceu aos 79 anos, em Porto Alegre, deixando um acervo de mais de 7 mil obras.

SERVIÇO

Endereço: Avenida Padre Cacique, 2000, Porto Alegre / RS

Horário: Terça a domingo, das 12h às 19h. Quinta-feira, das 12h às 21h. Fechado na segunda-feira.

Entrada gratuita.







  19/09
 

Hoje é sexta-feira, o dia mais esperado da semana pela maioria. Dia também de dica cultural aqui no blog!

A sugestão de hoje é para os porto-alegrenses, ou aqueles que passarão pela capital dos gaúchos nos próximos dias. A Casa de Cultura Mario Quintana sedia, desde o dia 16 de setembro, uma exposição em homenagem ao centenário de Lupicínio Rodrigues.

A mostra apresenta sambas escritos pelo músico, fotografias, reproduções da coluna escrita por Lupi publicada no jornal Última Hora, além de uma linha do tempo explicando sua vida e obra. A exibição ainda conta com um depoimento de Mario Quintana sobre o compositor.

Lupi - exposição - VLIFESTYLESOBRE LUPICÍNIO

O cantor e compositor nasceu em Porto Alegre no dia 16 de setembro de 1914. Suas canções eram marcadas por expressar fortes sentimentos, geralmente de amor e traição. O termo dor de cotovelo foi criado por ele, fazendo referência ao ato de apoiar os cotovelos na mesa ou balcão de um bar, bebendo e lamentando a perda da pessoa amada. Lupi, como era chamado, foi gremista e compôs o hino do Grêmio em 1953. Faleceu em 27 de agosto de 1974, em Porto Alegre, de insuficiência cardíaca.

SERVIÇO

Data: a partir de 16 de setembro (término indefinido)
Horário: 
segundas-feiras, das 14h às 21h; terças às sextas, das 9h às 21h; sábados, domingos e feriados, das 12h às 21h
Local
Sala Radamés Gnatalli – 4º andar (Rua dos Andradas, 736)