coringa

  02/09
 

Ano passado tivemos um post contando um pouco a história do jeans e sugestões de looks inteiros com o material (clique aqui para ler). Temos que concordar: nenhuma outra peça de roupa é tão unanime quanto a calça jeans. Sobre com diferentes cortes, lavagens e estilos, elas confundem nossas cabeças e às vezes nos perdemos no que realmente é bom pra gente. Por isso o post de hoje! Conheça agora qual tipo de calça jeans combina com seu corpo.

TIPO DE CALÇA JEANS - VLIFESTYLE

Separei os modelos por grupos. Cada categoria traz tipos de calças com semelhanças entre si, que servem de referencia na hora de montar o look.

Skinny, cigarrete e slim fit: São os modelos favoritos das brasileiras. As três são bem parecidas e eu diria que alguém não muito interessado por moda não nota diferença. Porém, já coloquei os nomes justamente conforme a ordem desse ponto que diferencia cada uma: largura na panturrilha. Enquanto a skinny é necessariamente bem justa no fim da perna, a slim fit  pode ser um pouco mais frouxa nessa região. Todas são mais comuns em cintura baixa. Por marcarem a silhueta, não são modelos aconselhados para quem possui o bumbum muito largo ou está descontente com o peso. As opções em cintura baixa são mais indicadas para mulheres mais altas, visto que elas podem achatar a altura de quem veste.

Pantalona, flare e bootcut: Moda vai e vem e elas estão fazendo mais sucesso do que nunca. Mais uma vez, coloquei os nomes por onde de largura do corte da perna. A pantalona vem com corte amplo desde a cintura, enquanto a flare começa um pouco mais justa e abre em forma de A em direção ao pé. Já a calça bootcut segue a lógica da flare, porém mais discreta. Ele começa um pouco mais ajustada ao corpo, e abre a partir do joelho a com intenção de facilitar o uso de botas por baixo da calça – por isso o nome. Os três tipos podem ter efeitos bem distintos no visual, só depende se a cintura é alta ou baixa. No primeiro caso, esses modelos alongam – e muito – a silhueta (falei sobre isso neste post aqui). Já as peças com cintura baixa, achatam consideravelmente o corpo, deixando a pessoa mais baixinha e gordinha.

Boyfriend e saruel: A primeira palavra que me vem na cabeça quando penso nesse grupo é conforto. A calça boyfriend (que ganhou um post aqui) é inspirada no armário dos homens, como indica o nome. Ela possui pernas amplas desde a cintura, que é alta e larga. É necessário geralmente o uso de um cinto para manter a peça no lugar. O gancho dela é mais baixo, o que seria o intermediário entre os modelos já citados e a calça saruel. Esse último pode ser encontrado com pernas ainda mais amplas que a boyfriend e gancho bem mais baixo – se aproximando dos joelhos. E justamente por esse motivo as baixinhas devem ter cuidado na hora vestir, pois ele achata. A solução é usar calçados com o topo aberto e cores que se aproximam com o tom da pele, pois eles trazem a sensação de continuidade da perna.

Também temos o tradicional modelo de calça reta. Eu não achei que ele se enquadrasse em nenhum dos grupos, por isso deixei por fim. Como o nome sugere, é aquele tipo de calça jeans cujo corte da perna é reto, sem afunilar ou abrir na panturrilha. A cintura é alta ou média, o que não achata a silhueta e se torna uma excelente opção para quem não é muito alta. Na minha opinião, é o tipo de calça mais eclético, pois pode vestir bem todos os tipos de corpos. Sobre ficar justa ou solta nas coxas, isso varia conforme a modelagem das marcas.







  27/08
 

Outro dia dei dicas sobre o que eu chamo de cabelo romântico, que são penteados fofos que podem ser usados em várias ocasiões. Eles são uma excelente opção para quem deseja sair da mesmice do cabelo solto de todo dia, mas trouxe ainda mais sugestões. Coque para o dia a dia é a melhor ideia para dar um up do visual sem muito esforço, na minha opinião. Você não precisa ter muita habilidade para fazer e também não perderá muito tempo. Além disso, esse penteado combina com todos ambientes e estações. No verão, é ótimo prender as madeixas para dar um aliviada no calor. E no inverno o visual fica lindo com o combo coque+cachecol. Uma pashmina bem fofa com o cabelo preso aquece o pescoço e deixa a produção super feminina.

COQUE PARA O DIA A DIA - VLIFESTYLE

Além desses três, separei três tutoriais que encontrei e acho que podem ser super úteis para vocês. O primeiro é em fotos, um passo a passo de fazer o famoso sock bun. Existe outra maneira de fazer ele, que é colocando a “rosca” (que pode ser feita com uma meia, por isso o nome) na ponta do cabelo e vir enrolando. Acredito que essa demora mais e tem mais chances de dar errado. Por isso indico fazer conforme as imagens abaixo. Esse coque traz um sofisticação para visual, podendo ser usado em festas também. Caso você goste de um look mais padrinho, assim como eu, é só puxar um fios e mechas fininhas pra deixar mais bagunçado.

Coque para o dia a dia - VLIFESTYLE - Tutorial

Este torcidinho de logo abaixo é dono do meu coração! É fofo e prático demais! Como vocês podem ver, ele é super simples de fazer. Porém, preciso avisar que ele é mais fácil de fazer em cabelos médios e curtos. Outra versão interessante dele é com uma faixinha ou headband. Você coloca ela por cima do cabelo e só vai enrolando os fios para dentro. Eu sempre faço embaixo, parecido com esse do tutorial, mas você também pode fazer pro lado. Fica ainda mais meigo!

Coque para o dia a dia Tutorial 2

O último tutorial é um vídeo do top blogger Camila Coelho. Quem olha esse cabelo super chique não imagina o quanto é simples de fazer. Dê uma olhada no vídeo dela, que é super rápido, e se joga! Não esqueça que a prática leva a perfeição. Então se der errado uma vez, tente de novo e não desanima!







  26/08
 

Ter aquelas peças que salvam nossas vidas é mais do que importante. Os chamados coringas nunca saem de moda e por isso vale a pena investir um pouco mais na hora de comprar. Porém, muitas pessoas se perdem quando vão eleger seus básicos. Por isso vou fazer algumas postagens sobre o tema, para ajudar você a fazer boas compras. E o primeiro item que eu acredito de todas devemos ter é blusa branca.

Antes de falar da peça, gostaria de copiar um trecho do livro Chic, da Gloria Kalil, sobre as roupas coringas. “O básico são as roupas e os acessórios que todo mundo deveria ter no guarda-roupa ao longo dos anos. São modelos clássicos e de fácil coordenação entre si que, com o mínimo, proporcionam o máximo de variações”.

BLUSA BRANCA - VLIFESTYLE

O ideal é você ter pelo menos três blusas brancas: uma manga curta, outra manga média e a terceira manga longa. Isso para garantir que você poderá fazer as combinações que desejar independente do clima.

Dê uma olhada nas inspirações abaixo e confira as inúmeras combinações que você pode fazer, sem parecer que está repetindo a roupa incessantemente. Eu optei por misturar camisas, camisetas e blusas de diferentes tecidos, deixando você livre para escolher o que se enquadra mais com seu perfil e necessidade. A primeira imagem traz os acessórios, que sempre podem dar outra cara para o visual. Blazers, cardigans, casacos pesados e jaquetas também seguem a regra: basta mudar que um novo look nasce imediatamente.

Não coloquei calças e shorts porque acaba sendo óbvio. Jeans ou alfaiataria, skinny ou flare, lisa ou destroyed.. tudo isso são opções que mudam totalmente o visual. Coloquei as saias para você ver que a mesma blusa branca pode fazer look casual e chique, só depende das combinações que você usar.

Acessórios - Blusa Branca

Blaser - Blusa Branca

Casaco - Blusa Branca

Saia - Blusa Branca







  28/07
 

Calça jeans é, sem dúvidas, a peça mais versátil de um guarda-roupas. Nós podemos usar em diversas ocasiões, de diversas maneiras, dando várias “caras” para a mesma peça. Mais confortável do que um calça de alfaiataria, o jeans também pode ser chique. E é sobre isso que vamos falar. Calça jeans também faz look elegante sim.

looks chiques com calça jeans - VLIFESTYLE

Existem vários modelos de calças e alguns facilitam no up do visual. Flare de cintura alta, retas e skinnys sem adereços (lavagem clara ou escura) já trazem logo a sensação de elegância para o look. Por elas serem mais neutras, as peças de cima e/ou acessórios são mais valorizados. O que facilita na escolha da imagem que você que passar.

Vamos aos exemplos: nada melhor do que um blazer para imediatamente elevar o look. Outra dica é usar camisas soltas, pois elas deixam o visual mais chique, sem pesar e comprometer a graciosidade. Echarpes, pashminas e outros acessórios imponentes também são super bem-vindos para deixar a imagem mais sofisticada e elaborada.

Acharam que eu não iria falar do salto alto? Scarpins, sandálias e botas com salto deixam qualquer look mais chique. É incrível! Basta mudar o calçado e pronto. Mas eu quero deixar claro que você também consegue deixar o visual mais elegante com rasteiras. Basta saber escolher os acessórios corretos e caprichar no material de alguma das peças, pois um bom caimento é fundamental.







  21/07
 

Menos é mais, menos é mais, menos é mais. Entendeu? Toda regra tem uma exceção, é claro. Mas, na dúvida, menos é sempre mais. Hoje, vou dar alguma dicas de como comprar bem, sem gastar muito. E nesse caso, vale a nossa regra de ouro. Vou explicar.

dicas de como comprar bem - VLIFESTYLE

A grande dica é: vale mais a pena comprar uma peça de maior qualidade, do que duas de qualidade inferior. A lógica é simples: logo as duas peças nem tão boas se vão, ao contrário da outra. Além do mais, peças com um padrão melhor têm um caimento melhor no corpo, deixando você mais elegante e valorizando a sua beleza. Já disse isso aqui e aqui, sobre investir em certas peças.

Além da qualidade, devemos cuidar para não cair na tentação das tendências. Muitas vezes surge algo que fica bonito em alguém, está em todas as lojas, compramos e nunca usamos. Primeiro: nem tudo que fica bonito alguém, necessariamente ficará bem em você também. Segundo: tendências vem e vão. Prefira investir seu dinheiro em peças atemporais, que não sairão de moda e te deixarão chique em qualquer momento.

A terceira sugestão é sobre tamanho. É bem mais comum do que se imagina comprar algo sem experimentar, se arrepender, não trocar e deixar a peça parada num canto. Ou ainda, comprar sem provar durante uma liquidação, que não há possibilidade alguma de troca. Eu sei que nossos cotidianos são corridos e requer tempo ficar naquele provador apertado trocando de roupa, mas isso é preciso. O tamanho certo é indicado pelo seu corpo, não pela numeração. Além da modelagem variar de marca para marca, as vezes aquele tecido ou modelo fica melhor em você num número maior do que o habitual, por exemplo.

Também é importante que a peça combine com, no mínimo, dois looks diferentes. Não há como comprar bem sem pensar na versatilidade. Pense em várias maneiras de usar aquela peça, e que de preferência ela não seja o ponto central em todos, pois assim não fica com cara de look repetido.

E por fim, pesquise. Há muita diferença de preços entre as lojas e nem sempre tudo que é caro é bom, e o que é barato é ruim. Fique atenta e não tenha preguiça de garimpar.